Minhas emissões de passagens para a Oceania




 

Como na minha viagem de volta ao mundo (one direction), dessa vez eu também tinha um destino como certo: a Austrália. Tinha muitas milhas no Smiles, no LifeMiles e algumas no Executive Club.

Procurei as passagens para a Austrália com o Smiles, mas só achei com origem em São Paulo e destino em Perth (costa oeste da Austrália), por 100.000 milhas em classe executiva com a Qatar. Era essa mesmo, já que estava impossível achar alguma passagem com o LifeMiles na ida.

Eu ainda tinha um saldo razoável desde a última vez que havia comprado milhas na promoção 2×1 da Avianca Internacional. E como estava em época de promoção 2×1 de novo, aproveitei para comprar o restante que faltava para completar 85.000 milhas, o que seria suficiente para emitir uma passagem da Oceania para a Europa ou de volta para o Brasil, em classe executiva.

Inicialmente, estava com a ideia de sair da Austrália e ir para a Alemanha. Então, emiti um bilhete em executiva com a THAI num A380, de Brisbane a Frankfurt. Passados alguns dias, mudei de ideia e resolvi que iria ficar mais tempo na Austrália e o resto das férias na Nova Zelândia. Não queria pegar o inverno alemão.

Liguei para o call-center da Avianca para cancelar o bilhete, o que me custou R$ 100,00 para creditarem as 85.000 milhas na minha conta de volta. Logo depois, emiti a passagem de Perth para São Paulo (não achei direto para o Rio), com a South African Airlines, na classe executiva, com conexão em Joanesburgo por 85.000 milhas também. Dei sorte na emissão, pois, as disponibilidades de datas estavam bem escassas.

Agora faltavam as passagens intra-continente. Se na Europa as cias aéreas não oferecem poltronas flat-bed para os voos domésticos, a Austrália dá um bom exemplo para ser seguido. Um voo de Perth até Melbourne ou Sydney pode durar mais ou menos umas 4,5 horas. Fiz umas pesquisas e vi que a Qantas, recentemente, iniciou esses voos (leste-oeste e oeste-leste) com uma configuração nova no A330, que possuem assentos-cama.

Procurei no site da British e consegui emitir uma passagem de Melbourne para Perth com a Qantas em classe executiva por 20.000 milhas e de Sydney para Auckland (Nova Zelândia) também por 20.000 milhas, com a Lan. Os dois aviões com assentos flat-bed, sendo que o da Lan é o novo B787 Dream Liner. Na foto abaixo está o meu extrato do Executive Club, com as duas passagens emitidas em classe executiva (dias 27/05 e 28/05) e as outras duas, em classe econômica, que explico no post do Executive Club.

british10

 

Como meu voo de volta era saindo da Austrália, eu teria que retornar a Perth para poder viajar para o Brasil. Achei uma passagem no site da Emirates, em classe executiva, num A380 (que eu sempre tive vontade de voar) por US$460 de Auckland para Melbourne, onde ficaria mais uns cinco dias e depois pegaria o voo para Perth e, então, retornar ao Brasil.

A passagem de Perth para Brisbane, eu procurei no site da British e achei bilhetes por 12.500 avios. Como é um voo com um preço de mais ou menos R$ 750,00, resolvi emitir a passagem com o Executive Club. Mais uma vez o programa da British se mostrou muito eficiente. As passagens de Brisbane para Cairns e a de Cairns para Sydney, me custaram 7.500  e 10.000 avios, respectivamente.

Como tive que adiar por alguns dias minha viagem em virtude do meu trabalho, cancelei meu bilhete do SMILES com a Qatar, e emiti um bilhete em primeira classe com a Etihad de São Paulo para Brisbane.

Espero que tenham aproveitado alguma dica para a sua próxima emissão de passagens com milhas. Deixe sua dúvida ou comentário, se quiser.

(Visitas 239 , 1 visitas hoje)

Deixe um comentário

Seu email não será publicado.